Ghouta

25 visualizações

A palavra do mês de Fevereiro para a Periferia é Ghouta. A cidade dos arredores de Damasco tem sido bombardeada por as forças governamentais sírias de Bashar al-Assad. Meio milhar de civis faleceram nos últimos dias entre as quais 150 crianças.

A fotografia de Mohamed Hasan deu a volta ao mundo nestes últimos dias de Fevereiro. Esta criança (sem nome) é o rosto dos 393.000 civis sírios ameaçados pelos bombardeamentos provocados pela coligação militar de Bashar al-Assad, o chefe do governo sírio.

Ponto da situação

Em cerca de dez dias, os bombardeamentos provocaram a morte de quase 500 pessoas, entre as quais mais de 150 crianças. Geert Cappelaere, Director Regional da UNICEF para o Médio Oriente e Norte de África, condenou o ataque. Numa declaração a 20 de Fevereiro de 2018, Cappelaere afirmou que “nenhuma palavra fará justiça às crianças assassinadas, às suas mães, aos seus pais e aos seus entes queridos”.

A 24 de fevereiro, o Conselho de Segurança das Nações Unidas votou um cessar-fogo de 30 dias na região do conflito. O texto da resolução destaca a necessidade de acabar com os bombardeamentos e “ataques contra civis e as suas pertenças, incluindo aqueles que envolvem ataques a escolas ou equipamentos médicos”.

A resolução não teve efeitos imediatos no terreno onde os ataques continuaram a ocorrer sobre a população de Ghouta. A pausa humanitária para evacuar vítimas do conflito e resgatar os feridos não teve sucesso. Diversas fontes internacionais relatam a possibilidade de Bashar al-Assad estar a usar armas químicas contra a própria população.

Para seguir o desenvolvimento do conflito, a Reuters criou uma página que agrega os últimos ecos noticiosos provenientes da Síria e, mais precisamente, de Ghouta.

Sobre o autor

David Fernandes

David Fernandes | Director de Periferia

Your email address will not be published. Required fields are marked *